7 de dez de 2018

Classe GT300 pode voltar para o SUPER GTS na próxima temporada

A terceira temporada do SUPER GTS vai terminar suas atividades neste final de semana, mas a organização já está preparando algumas vias da quarta temporada. Um dos planos, está, a volta imediata dos carros da lendária classe GT300, que participa na Super GT da vida real e é a preferida de muitos fãs e pilotos virtuais da comunidade do Gran Turismo, especialmente da GTStage.

O SGTS3 acabou sendo a única temporada na qual os GT300 não marcaram presença. Ate hoje, não foi explicado o motivo de ter deixado a classe menor do campeonato japonês de fora. No entanto, ontem em comunicado oficial, a GT300 está ausente do SGTS3 por conta da ausência constante de vários pilotos durante o fim de semana. "Este ano decidimos retornar com nossas atividades virtuais pelo mundo do GT Sport, mas vemos que ainda não é a hora de retornar com um campeonato multiclasse, e é por isso que decidimos que a SUPER GTS, em sua terceira vez, continuaria apenas com a GT500", explicou um dos porta-vozes da GTStage.

"Este foi o pensamento da organização pra esse ano, mas ano que vem, com certeza eles trarão os GT300 de volta", relata Nick Nagano, campeão da GT500 do SGTS1. "Mal posso esperar para voltar a correr dentro da classe GT300, saudades de correr com carros inferiores, menos potentes...", disse Geovanne Ferreira, campeão da GT300 do SGTS1 - o bragantino é um dos maiores defensores da categoria.
A GT300 fez parte das duas primeiras temporadas do SUPER GTS dentro do Gran Turismo 6. Os carros homologados foram os famosos JAF-GT (feitos especialmente para a classe), por alguns FIA-GT3 e, também, por carros originais da Polyphony e versões "Trophy" da Europa. Se tudo der certo para a organização, concretizando a volta da GT300 a partir do SGTS4, terá base no regulamento do "Grupo 3" do GT Sport, misturando os carros da classe GT3, GTE, e as criações imaginárias da Polyphony Digital.

Fiquemos atentos para mais informações no futuro. SOON IN A FUTURE UPDATE!

25 de nov de 2018

SUPER GTS 3 - Wagner Maurente, de Konica Minolta RC F, conquista vitória avassaladora em Suzuka; GT-R de Alex Moura também é destaque na corrida


Aconteceu no dia 17 de novembro de 2018 a terceira rodada do aclamado SUPER GTS Season 3! O circuito desta vez foi o lendário templo de Suzuka, na qual foi conquistada por Wagner Maurente, em uma performance dominante, com seu #57 Konica Minolta RC F.

Pela terceira vez na história, o SUPER GTS volta para Suzuka seguidamente, sem intervalos, sem recolocações. O lendário circuito é uma das pistas mais importantes para o campeonato.


Na primeira edição, no distante SGTS1, Suzuka foi palco de uma batalha eletrizante entre dois dos três HSV-010 inscritos na GT500. A classe GT300 viu uma incrível performance de Geovanne Ferreira e Júlio Molchan, respectivamente a bordo do Lexus IS 350 e Autobacs Garaiya. No SGTS2, Suzuka foi uma das corridas mais importantes da história da GTStage, por ser palco da quarta edição do GTS All Stars, nossa aclamada série isolada de endurances especiais, feita desde o GT5.


Nesta edição do All Stars, a chuva tomou conta do circuito na metade da prova, mas não atrapalhou a boa performance de Tavares Junior, Otto Wilson, Lucas Furlan, Roberto Denner e Nick Nagano. Tavares "JR" Junior dirigia o denominado #82 Forrozin Fast SC430, largou na pole e ficou um bom tempo da prova na liderança até abandonar por problemas de internet mecânicos. Incrivelmente, Otto Wilson, também inscrito de Lexus SC430, abandonou praticamente na mesma volta de JR. Enquanto isso, Lucas, Nick e Denner travaram então uma das melhores batalhas já vistas nos últimos anos. Lucas se deu melhor, vencendo e ampliando sua liderança na GT500 com o #5 FPR DENSO SUPRA. Nick Nagano, na época, dirigia o belo #1 NAG-R HSV-Evo LM, e superou o Supra de Denner na última volta e terminando à apenas 2 segundos de Furlan. Na GT300, de forma similar, os líderes tiveram azar e beneficiaram Diego Costa (#8 Corvtte Racing) e acabou sendo vitorioso na classe, mais uma vez.

E agora, três anos depois, voltamos com o SUPER GTS...

Voltamos, também, à Suzuka!


O cronograma do evento no circuito japonês estava previsto para uma corrida especial antecipar o round 3, mas não aconteceu devido à rejeição do horário, feita por muitos pilotos interessados em participar. A corrida em especial seria a participação de alguns GT500 do regulamento antigo da SUPER GT real correndo por cerca de 10 voltas.

Porém, já começando o "prato" principal, no qualifying, foram todos surpreendidos por Wagner Maurente e Alex Moura, ambos respectivamente de #57 Konica Minolta RC F e #12 GT LAB XANAVI NISMO GT-R. Os dois jovens pilotos foram os únicos da casa a baixar de 1'48, chegando a incríveis 1'47, separados por cinco milésimos!


Nick Nagano, mais um dos pilotos sem lastro, conseguiu tirar leite com pedra de seu azarado #3 NAG-R NSX CONCEPT-GT, e fez um incrível 1'48.744, desbancando o favorito do campeonato, Alexandre Junior (#75 Pioneer SPOON NSX CONCEPT-GT) por 100 milésimos. Mas, vamos lembrar que "Juninho", como é internamente conhecido dentro da GTStage, fez um tempo baixo com mais de 100 kg de lastro no carro, é coisa que só os mitos conseguem fazer.

E sortudos...


Com a saída de William "Kevin" Zambotti do campeonato, o jovem Matheus Lopes preencheu seu lugar deixado entre os titulares, e trouxe consigo sua nova estrutura - a equipe ML Sports, e um Lexus RC F GT500 patrocinado pela relojoeira SEIKO. Tal carro também impressionou no qualifying, ao fazer um tempo abaixo de titulares mais experientes - e mais precisamente, cerca de 1'49.469.


Thiago Prado, no #14 Chanel Orange GT-R, fecha os membros da casa de 1m49s, com Geovanne Ferreira (#89 G-Tuned NISMO GT-R) na cola com 1'50.040. Completamente frustrado, o bragantino comentou que sentiu problemas durante toda a passagem com o carro, afetando seu desempenho no final de semana. Pedro Petry (#88 Petry Motorsports GT-R), com problemas similares a de Geovanne, terminou em penúltimo no qualifying com um distante 1'51.108, e Jordy Vaniel, com total desconforto devido a má adaptação ao chassis da Honda, desta vez fechou como lanterninha...

Infelizmente, pessoas que estavam bem colocadas na tabela de pontuação acabaram que faltando para essa corrida. Julio Molchan, vencedor da etapa de Fuji, não compareceu devido à uma viagem já programada pra São Paulo. Fernando Xavier, de forma similar, precisou deixar o compromisso de Suzuka para se comprometer pessoalmente.

Outro triste desfalque fica por conta de Lucas Furlan, previsto para aparecer em Suzuka, mas não colou - também devido a compromissos. Pedro Gomes também faltou e precisou fazer uma viagem de negócios, envolvendo também sua promissora equipe Project 90. Murilo Henrique, inscrito no campeonato como parceiro de Wagner pela SPEED-BR RACING, acaba faltando sua terceira corrida seguida. Será que ainda teremos chances de ver a estreia do rapaz na GTStage?

Só sabemos que seu companheiro de equipe avassalou tudo no lendário circuito de Mie-ken!



Alex Moura, pole position, não fez das melhores largadas, caindo para penúltimo, e permitindo Wagner Maurente já assumir a ponta de vez, distanciando-se rapidamente do segundo colocado, Nick Nagano.

Nick foi pressionado na primeira volta por Alexandre "Juninho" e perdeu o segundo lugar após o hairpin em uma manobra arriscada, mas limpa. Os dois NSX CONCEPT-GT estavam prestes a protagonizar uma grande batalha, devido ao fato de Juninho ter o carro mais de 100 kg mais pesado, dando chances aos demais que não tem o mesmo dom "antissocial" do rapaz da SPOON Sports. Enquanto isso, Geovanne (#89 G-Tuned NISMO GT-R) fazia o possível para vir na bota dos NSX.


Matheus Lopes, do #8 SEIKO Lexus RC F, acabou errando feio antes de entrar na curva do túnel, e perdeu todas as posições, ficando em último, restando-lhe fazer uma completa corrida de recuperação...

Mesmo com a péssima largada cometida por Alex Moura, o jovem "mirim" não deixou barato, e efetuou vários ataques aos adversários Pedro Petry e Thiago Prado, tudo na segunda volta. Alex acaba indo buscar de vez Geovanne, que estava, no momento, tentando de tudo em chegar perto dos NSX. Alexandre Junior e Nick Nagano vinham praticamente na mesma bota, distanciando em setores, mas recuperando em outros. Após 8 voltas, já era possível ver Alex Moura chegando perto dos caras, após uma manobra arriscada ultrapassando Geovanne na primeira curva - felizmente, sem nenhum incidente.


Wagner, no #57 Konica Minolta RC F, líder e absoluto, simplesmente se distanciava de todo mundo, fazendo volta rápida atrás de volta rápida, cometendo nenhum erro, digno de uma performance dominante. Alex já encosta em Juninho e acaba ultrapassando o atual campeão da GTStage após o hairpin, indo em busca de Nagano - que não deixou barato, fez o máximo para segurar a segunda colocação, mas perdeu após um toque involuntário na chicane - cometida por Alex, mas interpretada pela organização como "coisa de corrida".

Infelizmente, Thiago Prado e Pedro Petry foram envolvidos em uma manobra polêmica na 130R, na qual o piloto do #14 Chanel Orange GT-R tocou no #88 Petry Motorsports GT-R, levando ambos para a área fora da pista, sem devolução de posição. Como de costume perante a essa atitude, a organização deu 10 segundos de atraso no resultado final para Thiago Prado.


Jordy, no #86 APEXi Momo Corse Honda NSX, com bastante problemas de adaptação HF ADAPTER, SIM SIM SIM, acabou cometendo diversas voltas irregulares com seu carro, se mantendo na triste nona e última posição - o piloto já tinha sido ultrapassado por Matheus Lopes pouco tempo antes.

Todos os pilotos pararam apenas uma única vez, diferente do que aconteceu em Fuji Speedway, onde diversos pilotos pararam duas até três vezes! Cortesia da nova atualização, que deixou os pneus Bridgestone, Michelin, Yokohama e etc mais duráveis para corridas de longa duração.



Após a parada, tensão era criada entre Wagner, Alex, Juninho, Nagano, Thiago e Pedro. Os dois últimos estavam disputando uma bela briga pela sexta posição, mas vamos lembrar que foram envolvidos em um incidente sério... Infelizmente, novamente, trocaram tintas - desta vez na Spoon Curve. A organização desta vez não relatou nenhuma punição, porém, Pedro Petry à essa altura do campeonato, mesmo perdendo para Thiago Prado por poucos segundos, seria beneficiado graças ao primeiro incidente, terminando em sexto geral.

Em uma performance pra lá de invejável, na parte final da corrida, o #12 GT LAB XANAVI NISMO GT-R se aproximava de vez do líder #57 Konica Minolta RC F, deixando a corrida nas últimas voltas apimentada! Alex Moura acabou em segundo, mas à apenas quatro segundos de Wagner! Uma bela performance de um piloto novo na GTStage, e a melhor de todos os GT-R inscritos no momento.



Como se não bastasse, Alexandre "Juninho" firmou-se em quarto lugar após ser superado por Nick Nagano, já que o paulista estava completamente mais pesado, mas o inesperado acabaria acontecendo na ÚLTIMA VOLTA, quando o volante do #3 NAG-R NSX CONCEPT-GT se soltou, desparafusando na entrada da Spoon Curve. Desesperadamente tentando colocar o volante de volta, Nick, no maior dos sustos, acabou se dando mal e acaba a corrida como "azarão do ano", por ter a grande chance de terminar no pódio desde a final do JSCRS no verão em Nurburgring. O japonês teve que se contentar com o quarto lugar e Juninho, mais sortudo do que nunca, acabou ampliando sua liderança no campeonato após terminar Suzuka em terceiro.

Felizmente, não houveram abandonos na corrida. Todos os pilotos conseguiram completar, mas muitos deles acabaram reclamando, como no caso de Geovanne, que relatou "sem chances de nada e levando gap pra caramba. Cansativo e dolorido.". Um comentário não muito feliz de Pedro Petry foi ouvido no paddock, e Jordy relatou que este foi o primeiro e último campeonato na qual participará, se caso o regulamento permaneça o mesmo ou similar, devido à péssima Herbert Fratini adaptação aos carros.

INTERVIEW

1st - Wagner Maurente [SPEED-BR RACING], #57 Konica Minolta RC F
"Sabem aquela música do elefante que incomoda muita gente? Vou trocar elefante por Alex. Agora além do nosso mitoso Junin, chegou um novo Alex destruindo no campeonato. Brincadeiras à parte, tudo começou por um gap quase inacreditável no qualify: o menino Alex fez -0.006 de diferença pra mim, ali eu vi que a corrida ia ser punk. No início, ele largou mal e eu consegui consagrar a P1 durante toda a corrida. Já quase no final, tava rolando uma briga entre o Thiago e o Pedro pela P6, encontrei eles como retardatários e no meu aguardo pra poder passar, o Alex se aproximou uns 8 segundos de mim (antes a gap estava por volta de 13 segs). No final, consegui segurar a gap e por pouco levei a vitória. Parabéns a todos e ao Alex que não me deixou respirar hoje, corre demais o cara!"

2nd - Alex Moura [GT LAB], #12 GT LAB XANAVI NISMO GT-R
"Consegui acertar uma volta sensacional na qualificação, mesmo assim fiquei na frente por 6 milésimo do Wagner Maurente. Um qualifying bem emocionante! Na corrida, logo na largada, não consegui tracionar bem e perdi muitas posições, consegui recuperar a P2 e dar uma certa pressão no Wagner, que fez uma ótima corrida e sem erros. Agora terei lastro no carro e será um pouco mais complicado, mas a equipe e eu vamos dar nosso melhor nas próximas etapas."

3rd - Alexandre Junior [SPOON Sports], #75 Pioneer SPOON NSX CONCEPT-GT
"Estou muito feliz com o P3, muito difícil acompanhar a galera sem lastro, estava andando no limite e 1 segundo acima do Wagner, estava mirando a terceira posição e tive uma boa disputa com o Zé (Nick Nagano) por algumas voltas... Acabei errando faltando 4 voltas e por uma infelicidade do Nick o terceiro lugar caiu no meu colo. Não posso reclamar da race de jeito nenhum, estou satisfeito com meu desempenho. Parabéns ao Wagner que é um baita foguete e ao Alex que andou muito bem."

RESULTADO DA CORRIDA
RESULTADO DO QUALIFYING
POINT RANKING
- GALERIA






Após a realização do SUPER GTS 3, os carros da classe GT500 do antigo regulamento do SUPER GT tomaram conta do circuito e prestigiaram uma pequena corrida casual de 7 voltas (inicialmente, era pra ser 10, mas devido ao horário, foi reduzida para apenas 7). Diversos carros lendários marcaram presença, com liveries próprias e/ou referências reais! Você confere a full galeria CLICANDO AQUI.

22 de nov de 2018

Pole, vitória e título para Alexandre "Junim" na Porsche ClubStage Cup!



Juninho segue o streak de vitória e garante o título da Porsche ClubStage Cup 2018!


A Alemanha pode estar triste com a temporada cômica de Vettel na Formula 1 neste ano de 2018, mas ao menos pôde ficar mais feliz com a quentíssima corrida da Porsche Clubstage Cup que aconteceu em Nurburgring, no último final de semana (10/11).

Rumores de paddock já diziam que o qualify seria bastante tenso. Alguns pilotos não conseguiram bons resultados, como Fernando Xavier (#21), este agora já se tornando um veterano na GTS. Outros, por outro lado, chegaram a tremer a perna de categorias acima do Cayman GT4. Todos sabem o nome dele. Junior, Alexandre Junior (#75), nosso Pole Position. O piloto convidado da G-Tuned já estava com o campeonato basicamente decidido, após completar sua terceira vitória seguida com os Porsche, dependendo apenas de uma catástrofe para que seu título fosse perdido.


Wagner Maurente (#57) pode comparecer novamente após duas etapas ausentes. O piloto fez um excelente tempo no qualify (P2) e já deixou bastante claro que a disputa seria bastante acirrada. Júlio Molchan marcou o terceiro tempo mais rápido, os únicos abaixo da casa dos 2 minutos na sempre emocionante Nurburgring GP.

A largada começou emocionante, como sempre. Alexandre (G-Tuned) não teve uma largada muito boa e permitiu a passagem de Wagner (SPEED-BR) e Molchan (Black Falcon Prodrive), com este assumindo a primeira colocação logo na curva 1. Nick “Zé” Nagano (Pac-Man NAG-R) também conseguiu uma excelente largada e pula diversas posições mas infelizmente toca em Geovanne (G-Tuned) e roda antes mesmo de completar o polêmico hairpin alemão. Mateus Lopes (M.L Sports #8), um dos estreantes e que promete muito futuramente, infelizmente tem uma largada fraca e é ultrapassado por Fernando Xavier (Black Falcon Prodrive #21).


De volta à ponta do grid, Junior não perde tempo e já retoma a primeira posição antes mesmo do segundo setor. Enquanto isto, Jonathan (Porsche USR #41) comete um erro beliscando a grama e roda, abrindo espaço para o que tudo indica ser uma brilhante corrida de recuperação do Zé #76. O japonês cearense continua arretado a parte pra cima fazendo novas ultrapassagens, sem incidentes.

Na volta três, Pedro Petry (Budweiser Axalta #88) começa a mostrar suas asinhas com diversos ataques ao experiente Geovanne Ferreira (G-Tuned #89), que em busca à Fernando, não cede nenhum espaço para o adversário. Mais à frente, uma acirrada disputa entre Molchan e Alex abre oportunidade para Wagner chegar, afinal, nada melhor que um bom duelo para que um terceiro chegue na brincadeira. Fernando, aproveitando de um excelente pace na primeira metade da corrida, mostra dispor ao se aproximar do trio disputando lugares no pódio, distanciando-se cada vez mais de Geovanne.


No meio do grid, Petry começa a sofrer com o que seria sua avalanche de azar na corrida. Ele erra e abre espaço para Diego Gerpe (Cayman Heineken #31) que demonstra estar com um imenso apetito para o esporte. Uns com azar, outros com sorte. Nagano consegue mais uma ultrapassagem, desta vez em cima de Jordy (Pepsi Axalta #86), que também não estava tendo uma boa corrida. A briga entre o Heineken de Diego e o Budweiser de Petry se estende por mais voltas, com diversas trocas de posições.


Mais a frente, Wagner e Alexandre “Junim” continuam disputando fortemente a segunda colocação enquanto Molchan tenta criar um gap, porém, parecia que não era seu dia. Geovanne mostra um pace constante e se aproxima de Fernando, enquanto Nagano deixa bem explícito que estava afim de correr, ultrapassando Diego volta 6 e Pedro (que havia sido colidido por Marco #19 e rodou) solidificando uma boa recuperação após o incidente na primeira volta.


A corrida começa acalmar os nervos quando Junim decide antecipar sua parada nos boxes para manter uma estratégia de 50/50, o que revela ter sido um acerto pois ele ainda consegue voltar na frente de Fernando e Molchan. Ainda na briga durante os boxes, Marco decide fazer uma estratégia radical e não faz sua parada, ganhando diversas posições. Geovanne aproveita a movimentação no grid e executa diversas ultrapassagens, uma em Diego e outra em Jonathan, segurando um digníssimo 4º lugar. Nick “Zé” Nagano também garante um bom pace ao final da corrida mas não é o bastante para alcançar Marco, este não conseguiu administrar o excelente ritmo que Diego teve neste final de semana.




Após todos cruzarem a linha de chegada e Alexandre comemorar mais uma digníssima vitória, a organização detectou infrações e realizou punições para Jonathan, da Porsche USR, que fez uso indevido das zonas verdes na chicane. Como resultado disso, o corredor tomou 10 segundos de punição. 


Com toda a matemática de pontos efetuada, aquele carro #75 da G-Tuned também conseguiu mais um título para Alexandre Júnior, que chega em Interlagos com uma vantagem de 1 ponto em relação ao atual segundo colocado, Júlio Molchan, da Black Falcon Prodrive, mesmo este vencendo a última etapa e “Junim” não pontuando.


A GTS congratula este jovem talento que conquista seus títulos de maneira limpa e honrosa, um corredor que todos podem se espelhar. Sua habilidade em ser rápido e o caráter ímpar em disputar com os colegas somente reforça quais as verdadeiras qualidades de um campeão, conquistando suas vitórias sem sequer um arranhão na porta de seu carro.

Porém, a Porsche Clubstage Cup ainda precisa definir muitas posições no campeonato, fiquem por dentro do que irá acontecer no próximo final de semana, em Interlagos!

INTERVIEW!

1st - Alexandre Júnior [G-Tuned], #75 G-Tuned Cayman GT4:

"Que corrida fod*, não porque consegui a vitória, mas sim porque disputei com pilotos rápidos e muito limpos, isso me deixa muito feliz, e claro, fiquei feliz com meu desempenho sem atrapalhar ninguém dessa vez kkkkk... Parabéns ao Wagner e ao Julio, e obrigado pelas 9-10 voltas de disputas, foi mto foda! 
Consegui recuperar rápido minha largada fail (mais uma vez), e só fui consegui respirar após a parada dos boxes.. muito feliz com a vitória, e feliz de representar a G-Tuned. Hoooah!"

2nd - Wagner Maurente [Speed-BR Racing], #57 Speed-BR Cayman GT4: 

"Mais uma corrida sensacional pra guardar com carinho. De antemão já agradeço por não ter caído, porque nos últimos dias a net anda complicada, mas voltando à corrida, tive momentos de disputas excelentes com Juninho e Julio pela P1 durante a primeira metade da corrida. Na segunda metade, Juninho cansou da brincadeira e deu aquele clássico vlw flw, deixando eu e o Julio na briga pela P2, posição que não foi fácil manter, já que a pressão do Julio era constante. Mas no geral, como eu falei, foi uma linda corrida pra ficar registrada, meus parabéns a todos e especialmente ao mito dos mitos Junin por mais uma vitória, preciso nem falar que andou bagaray!"

3rd - Julio Molchan [Black Falcon Prodrive Motorsports], #23 Black Falcon Prodrive Cayman:

"Gostei bastante da disputa na primeira metade da corrida mas infelizmente não pude prolongar porque meu pace não estava dos melhores. Cometi alguns erros que custaram posições e até mesmo algumas chances de me aproximar do Wagner. Mais uma vez, ficou comprovado que constância é a chave pra boa colocação."

- RESULTADO DA CORRIDA
- RESULTADO DO QUALIFYING
- GALERIA


POINT RANKING:


14 de nov de 2018

Chassis antigos da GT500 farão participação especial no Round 3 do SUPER GTS 3

A nova atualização do GT Sport saiu há pouco mais de duas semanas, e com ela, chegaram os "novos" carros da classe Gr.2 do Gran Turismo Sport: Lexus SC 430, Honda NSX e o Nissan GT-R. São os modelos GT500, já vistos em Gran Turismo 5 e 6, retornando para a nova geração mesmo sendo carros de 10 anos atrás.

Com a repercussão imediata dos modelos - que, obviamente, têm mais fãs do que os novos de 2016 (os DTM-styled), a organização do SUPER GTS decidiu, de antemão, que irá organizar uma corrida de exibição dedicada aos modelos em Suzuka, próxima rodada do SUPER GTS 3, neste final de semana (17 de novembro).

A expectativa é de ver alguns dos modelos que estiveram presente na série, como por exemplo, o ARTA NSX, que consagrou-se campeão da temporada de 2007 do SUPER GT real, o Calsonic IMPUL GT-R de 2008, além do ZENT Cerumo SC430 de 2009 e demais versões que só acompanhando o cronograma do final de semana pra saber!

A corrida terá cerca de 10 voltas e antecederá o cronograma original do SUPER GTS 3, previsto pra começar às 20h15. Devido a esta ocasião especial, a sala poderá ser aberta mais cedo (o horário ainda não foi definido, mas a expectativa é de Suzuka abrir os portões por volta das 19h30 do horário de Brasilia, com inicio da exibição marcado para as 19h40 ou 19h50).
Os modelos antigos da SUPER GT são totalmente conhecidos pela galera. Foram eles que abriram a primeira edição do aclamado GTS All Stars em Fuji - que contou com a vitória de Lucas Furlan a bordo do Calsonic IMPUL GT-R, largando em último (!!!). Os modelos também foram usados no SUPER GTS 1 e 2, além de diversos eventos aleatórios e casuais sem compromisso!

A GRAN TURISMO STAGE celebra o retorno dos "Super GT500 classics"!!! Vamo que vamo!!!




6 de nov de 2018

Com "plano B", Julio Molchan vence rodada do SUPER GTS 3 em Fuji Speedway com seu #23 Molchan Sport NAG-R Boeing RC F


No dia 3 de novembro de 2018 aconteceu a segunda etapa da terceira temporada do SUPER GTS. Durando cerca de 200 km (45 voltas), a vitória acabou nas mãos da Molchan Sport with NAG-R, com Julio Molchan a bordo do #23 Molchan Sport NAG-R Boeing RC F.

Após mais de três anos, Fuji Speedway está de volta na série Gran Turismo. E, claro, jamais ficaria de fora de uma nova temporada do SUPER GTS, né? O circuito foi anunciado como parte do calendário mesmo antes de marcar presença no game após a atualização.


Com uma reta que possui mais de 1 quilometro e um cenário pra lá de fantástico (o Monte Fuji é uma das maiores maravilhas naturais do mundo), o palco é uma das pistas favoritas de muitos pilotos do grid, como por exemplo de Alex Moura, novato, que infelizmente precisou faltar a corrida, mas não deixou de comentar que Fuji é "minha pista favorita de todos os tempos!". Nick Nagano, um dos mais experientes da casa, também comentou: "sinto falta desse circuito tanto na vida real quanto na virtual. Bem-vinda de volta, Fuji."

Sem demais problemas aparentes, o qualifying começou no cronograma previsto, com Alexandre Junior (#75 Pioneer SPOON NSX CONCEPT-GT) já marcando uma das melhores parciais, mesmo com lastro. Entretanto, foi batido por Julio Molchan (#23 NAG-R Boeing RC F) e, mais tarde, ambos foram "massacrados" por Wagner Maurente, do #57 Konica Minolta RC F, que estreia no campeonato a partir desta etapa. O tempo? Assombrosos 1'30.329. Curiosamente, mesmo com mais de 600 hp e menos de 1100 kg, mesmo assim, os carros não bateram o recorde absoluto de um GT500 da GTStage no circuito: Lucas Furlan detém o recorde da pista com 1'30.196 no qualifying da segunda temporada do SUPER GTS, que aconteceu em 2015.

Somente dois Lexus RC F GT500 apareceram para correr, se classificando respectivamente em primeiro (Wagner) e terceiro (Julio), com o NSX de Alexandre Junior conseguindo interver entre os dois com 1'30.614 (apenas 77 milésimos a frente de Julio Molchan). O melhor GT-R foi o de Fernando Xavier (#21 Maxwell NAG-R GT-R), marcando 1'31.374.

Nick Nagano (#3 NAG-R NSX CONCEPT-GT), vindo de um treino particular, conseguiu marcar o quinto melhor tempo, com 1'31.380. Embora tenha feito uma boa parcial, ainda é "triste e humilhante" para o piloto, que é o único do pelotão da frente que está sem lastro. "Esperava por um terceiro lugar no qualifying" - relatou.


O nipo-brasileiro conseguiu superar Geovanne Ferreira (#89 G-Tuned NISMO GT-R) por mais de 500 milésimos. Thiago Prado (#14 Chanel Orange GT-R), foi desconectado da sala durante sua melhor parcial, mas, mesmo assim, conseguiu firmar na sétima colocação, com um tempo de aproximadamente de 1'32.1xx. Jordy Vaniel (#86 Apexi Momo Corse Honda NSX), Pedro Petry (#88 Petry Motorsports GT-R GT500) e Pedro Gomes (#2 PRJCT-90 ZEXEL GTR35) fecham o grid respectivamente em 8th, 9th e 10th.

Para esta prova, ficaram de fora: Alex Moura (#12 GT LAB XANAVI NISMO GT-R), Lucas Furlan (#5 FPR LEXUS RC F) e Murilo Henrique (#94 Konica Minolta RC F), todos devido a compromissos pessoais. Em completa irresponsabilidade, o desconhecido William Zambotti "Kevin" se despede do grid da SUPER GTS em pleno início de campeonato. Desejamos ao piloto boa sorte em corridas que possuem assistências ligadas, e bons rolês no Fortnite enquanto acontece corrida na qual está compromissado.



A corida aconteceu da forma mais desastrosa possível: em um efeito dominó, Geovanne Ferreira não consegui segurar seu GT-R na largada, derrapando e indo em direção de Nick Nagano, que com o impacto, teve seu carro completamente virado de lado. Na brincadeira, Pedro Petry foi feito de sanduíche entre os dois e o outro Pedro, acabou sendo o mais afetado - após uma série de roda roda pião da casa própria, foi parar na grama e acertou em cheio o guard-rail.


De jeito nenhum a organização tentou reverter o incidente com uma nova largada, a pedido dos fãs. Pelo contrário: bandeira verde que se segue. No comecinho, quem acabou se dando mal também foi Alexandre Junior, um dos grandes favoritos da corrida, mesmo com mais de 50 kg de lastro em seu #75 Pioneer SPOON NSX CONCEPT-GT. O piloto tentou uma passagem por dentro, e acabou atrapalhando também Wagner Maurente, pole position com o #57 Konica Minolta RC F, com ambos despencando das primeiras posições.


Quem agradeceu o feito, foram os parceiros indiretos Julio Molchan e Fernando Xavier, ambos com suas equipes, mas em sociedade com a NAG-R. Julio tomou a liderança de Wagner após a primeira curva. sendo devidamente perseguido pelo #21 Maxwell NAG-R GT-R. Um susto quase acabou com a corrida de ambos, quando o #23 Molchan Sport NAG-R Boeing RC F quase escapou da pista, levando o #21 Maxwell GT-R junto. O toque permitiu que um surpreendente Thiago Prado se aproximasse do pelotão com seu belo #14 Chanel Orange GT-R, tomando o segundo lugar do #21. Wagner, recuperado da atrapalhada no começo da prova, "colou" junto, mas foi o primeiro a abandonar na prova por problemas de conexão motor estourado, causando um acidente fora da pista.


Com Alexandre "Juninho" vindo do pelotão de trás, na volta 5, encostou em Geovanne Ferreira (#89 G-Tuned NISMO GT-R), causando uma tremenda perseguição entre os companheiros de equipe na Porsche Clubstage Cup. Conseguiu ultrapassar o bragantino da NISMO/G-Tuned na volta 8, na primeira curva, após a escapada do #89 G-Tuned GT-R, não tendo sequer mais chance de buscar o #75 Pioneer SPOON NSX, que sumia a cada setor completado - para o vencedor da primeira etapa, ainda havia um longo caminho a percorrer, se quisesse figurar entre os primeiros colocados.

Os que se deram mal graças ao acidente na largada, Pedro Petry e Nick Nagano, se encontravam respectivamente em sexto e sétimo lugar (uma posição acima devido ao abandono de Wagner). Os dois pilotos brigavam pela sexta colocação, mas enquanto Pedro derrapava das curvas com seu #88 Petry Motorsports GT-R GT500, Nick Nagano comicamente fazia pior: saia da pista, pegava grama, e nas oportunidades de passar o paranaense do GT-R azul, o #3 NAG-R NSX CONCEPT-GT simplesmente não conseguia, devido ao nervosismo e desequilíbrio emocional do piloto.



Só conseguiu ultrapassá-lo quando fizeram suas devidas paradas. Jordy Vaniel (#86 Apexi Momo Corse NSX) foi o primeiro do grid a parar, mas tristemente era o último colocado. Julio Molchan foi o segundo do grid, durante a passagem da volta 13 pra 14. Nas voltas seguintes, em estratégia similar, Fernando e Thiago foram pro pit para fazer o primeiro stint de troca de pneus. Geovanne, após sua parada, foi em busca de Thiago Prado, tornando-se assim uma das principais perseguições da corrida. Nick, assim como relatado acima, conseguiu ultrapassar Pedro Petry após a passagem dos dois pelos boxes.

Jordy Vaniel, desencantado com seu desempenho (e, convenhamos, da brutalidade do NSX-GT), foi o segundo a abandonar após cerca de 20 minutos de prova, relatando desavenças com seus mecânicos e engenheiros. Os dois jovens de Pelotas (Wagner e Jordy) são as baixas durante a corrida. Pedro Gomes, que figurava o oitavo lugar no seu #2 PRJCT-90 ZEXEL GTR35, se tornou o último colocado desde então, tomando volta seguido de volta...



Depois do primeiro stint, em um pace invejável, Julio Molchan fazia A corrida. Extremamente calmo e sem alto temperamento, o jovem aviador de Goiânia seguia líder, embora o alerta sempre esteve consigo durante a prova, por causa de Alexandre Junior, que no momento disputava o segundo lugar com Fernando Xavier - uma briga das boas! O DJ paulista acabou levando a melhor, e conseguiu se distanciar do catarinense da Maxwell Motorsport.


E Geovanne, no belíssimo #89 G-Tuned GT-R, fazia o possível para se aproximar cada vez mais de Thiago Prado. A metade da prova foi um momento em que todos se acalmaram, não houve nenhuma ultrapassagem e nem um incidente sério. Mas, próximo dos 40 minutos de prova, Juninho e Julio eram os protagonistas do momento, eletrizando uma batalha pela liderança que foi parar até à hora do segundo stint.


Mas não houve movimento, a não ser contar com a aproximação do #88 G-Tuned no #14 Chanel Orange GT-R. Após ambos pararem pela segunda vez para troca de pneus, na volta 36 Geovanne finalmente executou a ultrapassagem, carregada de determinação e de vácuo, em cima do GT-R preto, laranja e cromado de Thiago Prado. Tentou batalhar, mas não conseguiu mais, e foi pra arriscar uma terceira parada...

Assim como Juninho, que protagonizou, também, um dos momentos mais tensos da corrida, na qual o #75 Pioneer SPOON NSX acertou em cheio a barreira de pneus da entrada do pit, e assim perdendo rendimento. A sorte é que conseguiram reparar rapidamente o dano causado, conseguindo voltar pra brigar novamente com Fernando Xavier, do #21 Maxwell GT-R.


O #75 Pioneer SPOON NSX conseguiu se distanciar do #21 Maxwell GT-R por ter pneus melhores, e assim estava praticamente definido o resultado final da corrida. De mais surpreendente durante a passagem final, foi a diferença que Nick Nagano vinha tirando para Thiago Prado em busca do quinto lugar, mas já era tarde demais.

Um fato curioso é que Julio Molchan não é considerado novato nesse campeonato, mas sim veterano, que retorna depois de se ausentar por completo quando a segunda temporada do SUPER GTS aconteceu. E além disso, na primeira temporada, integrava a NAG-R como membro oficial e foi peça importante na conquista do titulo de equipes do time "boate rosa". Seu melhor resultado foi um segundo lugar na GT300, na qual participava de Autobacs Garaiya GT!

E, com isso, depois de ser campeão do Blancpain GTStage Series este ano, Julio Molchan novamente se torna vitorioso! Pela primeira vez no overall do SUPER GTS e, também, o único sobrevivente dos Lexus na corrida. Um tremendo feito para a Molchan Sport! Além disso, a NAG-R, que oferece suporte para a equipe e para o piloto goianense, retorna ao lugar mais alto do pódio depois de mais de 10 corridas passadas!

Mas, o troféu mesmo, vai pra casa da Molchan Sport em Goiânia, com instalações internacionais no interior da Inglaterra, na qual possui suporte indireto também da Prodrive. Congratulations, bro!



INTERVIEW

WINNER - Julio Molchan [Molchan Sport with NAG-R], #23 Molchan Sport NAG-R Boeing RC F 
"Resultado bastante inesperado, alguns eventos anormais na corrida definitivamente contribuíram para este resultado. O carro estava relativamente bem ajustado, deu pra corrigir o consumo excessivo de pneus demonstrado na última etapa. Tive um bom pega com o Junim durante metade da corrida mas infelizmente não levamos até o fim."

Segundo lugar - Alexandre Junior [SPOON Sports], #75 Pioneer SPOON NSX CONCEPT-GT
"Segundo lugar saiu de bom tamanho, consegui uma boa disputa com o Júlio porém caguei a chance da vitória após a última parada, ai veio o desânimo e quase estrago a corrida do Fernando, se o Wagner não tivesse caído com certeza o pódio pra mim estaria ameaçado.. bora pra Suzuka."

Quarto lugar - Geovanne Ferreira [G-Tuned], #89 G-Tuned NISMO GT-R
"Tive que correr com asa no máximo pra poder segurar o carro, Fuji é tenso, com o lastro decidi ser mais conservador, ainda mais numa pista onde tenho dificuldades. Larguei mal demais e isso gerou um baita enrosco, uma pena, de resto com poucos erros e muita dor deu pra conseguir o 4th, destaque pro Thiago que tava andando muito bem."

RESULTADO DA CORRIDA
RESULTADO DO QUALIFYING
POINT RANKING
- GALERIA