5 de jul de 2015

SUPER GTS 2 – Final em Motegi: Lucas Furlan campeão, homenagem a Nick Nagano e um até breve!


O 'Round 6 – MOTEGI GT 60 MINUTES RACE', sexta e última rodada do calendário da segunda temporada do SUPER GTS, foi realizada no circuito real de Twin Ring Motegi (Road Course) às 22h15 do dia 4 de julho de 2015. Os vencedores dessa etapa foram Lucas Furlan (, na GT500, e Diego Costa (#8 Vette Racing), na GT300.

The end. Acabou. Shuryo... Chegamos em Twin Ring Motegi, palco conhecido por sediar as temporadas finais da SUPER GT no ano. Agora, conhecida também por encerrar, quaisquer seja as edições, o SUPER GTS. E o que vou começar escrevendo aqui não é pra brincadeira. Os meninos deram um show, especialmente na GT500!

Como de costume, que tal falar do qualifying primeiro? Apenas 8 pilotos compareceram. Lucas Furlan (#5 FPR ESSO Ultron Supra) marcou sua milionésima pole na GTStage. Júlio Cazari (#22 Kzari HSV-010) novamente mostrou força na reta final, e conseguiu o segundo melhor tempo. Denner seguiu com um apertadíssimo 1'41.6 e fechou o top 3. Nick Nagano (#1 NAG-R HSV-Evo LM), vencedor do final round em Motegi ano passado, fez um tempo medíocre. O piloto botou culpa no cansaço, já que está em processo de mudança.

A classe GT300 teve pela primeira vez Rafael Pereira (#32 USTIO IS350) como pole position do campeonato. Diego Costa, já campeão com seu #8 Vette Racing nos pilotos e nas equipes, ficou com o segundo melhor tempo e Anderson (#32 MB DRT SLS) fecha o trio da classe. Quem ficou de fora foi Raphael Capuchinho, que com a #15 SLS Minardi GT, foi incapaz de fazer um tempo próximo do pessoal. Porém, saiu na vantagem ao ter Clayton Nemezio (#65 WILD Venom Impreza) e Gian Carvalho (#85 OAK Corvette Z06) faltando no qualifying.

Você pode conferir o resultado do qualifying clicando aqui.

No dia da corrida, uma surpresa: quando houve a solicitação para que todos os carros alinharem no pit lane, mal sabia Nick Nagano que todos os seus colegas pintaram seus carros praticamente na mesma cor, uma forma de demonstrar apoio ao piloto virtual, que está de mudança ao Japão. Claro, o mesmo ficou surpreendido e questionou o motivo, apesar de ter agradecido a todos, em especial ao Clayton, o "tio", que teve a ideia e contou com ajuda também de Lucas Furlan.

Sim, meus amigos. Nem o pessoal da GT300 escapou da "naganisse". Todo mundo ficou rosa em Motegi!
Entre pretos, brancos, verdes e amarelos: todos viraram "membros da NAG-R" por um dia
Acirrado na GT500, Nick largou em quarto, mas já no começo da prova conseguiu o segundo lugar. Porém, acabou indo pra brita e caindo pra último, em quinto, uma vez que Otto Wilson (#99 Tacit Ronin Lexus SC430) acabou não conseguindo largar por problemas de conexão. Diante disso, Lucas liderou o comboio com pressão do pessoal, distanciou até a volta 3, até que acabou rodando o carro e perdendo um tempo considerável para todo mundo se juntar novamente. A partir daí, começou o maior um dos momentos mais legais desta corrida.

Volta 3, último túnel que antecede a chicane da reta dos boxes, Lucas Furlan erra seu #5 ESSO "NAG-R" Supra e perde a primeira colocação pra Denner, que por sua vez, custou segurá-lo com Nick Nagano nas pontas. Só nesse momento, que se estendeu até os 17 minutos, foram mais de 10 ultrapassagens! A brincadeira começou a ficar congelada quando Denner e Junior cometeram alguns erros crônicos. E devido à constância de Cazari, que não foi a mesma de Nagano e Furlan, ficou fácil para esses dois se matarem pela primeira colocação sem problemas ou intervenções de terceiros.

Os dois foram pro pit oriundos de uma estratégia idêntica: entrar cedo e sair o mais rápido possível do pit, enquanto presenciam a concorrência gastando muito mais pneu. Eles foram os únicos da corrida inteira que optaram por duas paradas. Nem na GT300 isso ocorreu, a titulo de curiosidade.

Em um dia extremamente raro e inusitado, os mecânicos da NAG-R foram mais rápidos que o pessoal da FPR na hora de liberar o carro pra voltar pra pista. Nick Nagano segurou Lucas Furlan por 5 minutos, até ser ultrapassado e repetir o que ele exatamente fez há pouco tempo de prova – o que infelizmente não ocorreu até eles pararem novamente. Nagano tem um carro completo, porém, Furlan é milagroso quando quer e conseguiu se distanciar sem dar chance ao japonês de tirar uma casquinha da primeira posição. Durante esse tempo todo, efetuaram as paradas: Junior (30 minutos), Denner (31 minutos) e finalmente Cazari, aos 34 e já sendo ultrapassado por Nick e Lucas.
Mas 10 minutos depois, como foi dito, a dupla parou. Cazari e Denner ultrapassaram ambos. Junior, por causa de seus erros, não conseguiu fazer o mesmo e tentar tirar a sorte com uma parada. Entrava em cena a parte final da corrida e o gap entre Furlan e Nagano intermediava entre 5 à 7 segundos até pouco antes de pararem (era de 3 segundos abaixo, pois Nagano rodou sozinho no na entrada do segundo setor pouco antes de parar para segunda troca de pneus). Como voltaram em meio ao tráfego, Lucas Furlan acabou ganhando alguns atrasos. Piorou quando encontrou Cazari e Denner brigando pela primeira colocação, com menos aderência nos pneus. Para complicar ainda mais a situação, a pista estava escurecendo, dobrando o cuidado.

Denner, já ultrapassado por Lucas Furlan, erra na quarta curva do circuito e abre passagem pra Nick Nagano continuar sua missão de caçar o Lucas pela enésima vez. Nagano passou Cazari no mesmo minuto, de forma muito apertada, algo próximo do que aconteceu com Denner e o mesmo Cazari há duas etapas atrás, em Suzuka. Nos dez minutos finais, Lucas perdeu rendimento da mesma forma que Nick antes da segunda parada, e abriu enorme possibilidade de perder também o primeiro lugar, na última volta, pro japonês, que caiu pra menos de um segundo. No entanto, Lucas conseguiu se safar ao tracejar com segurança a chicane. Nagano não teve a mesma sorte e foi direto pra brita, mas não fez feio.
A classe GT300, por sua vez, teve um movimento um pouco mais moderado que a GT500 em questões de ultrapassagens e/ou disputas por posições. Um dos momentos mais atrativos dessa corrida foi logo na largada, quando Rafael Pereira perdeu o primeiro lugar na arrancada pra Diego Costa. Um duro golpe pro carioca, que também perdeu posição pra Anderson da Silva, com sua #36 MB DRT SLS louca pra levar um caneco de primeiro lugar desde que foi selecionado como titular, no Round 3.

Sob muita pressão de Rafa nas primeiras voltas, Anderson não demorou para rodar sua Mercedes-Benz e, para piorar, foi tocado por Gian Carvalho enquanto voltava pra pista. Como forma de desculpas, Gian devolveu a posição para Anderson seguir em frente e competir pela melhor posição da forma mais sadia possível. Maciel, Raphael Capuchinho e Clayton "tio" Nemezio não tiveram a mesma sorte e já deixaram de acompanhar em meio à freadas bruscas, pequenos encostos na brita, rodadas e até batidas.

Dos três, quem tentava reanimar os quatro eixos do carro era Maciel, que nesta temporada não foi muito acostumado a esse tipo de situação. Seguiu em busca da quarta colocação com seu #12 Atom Joker RX-7, mas perdeu posição pra #15 SLS Minardi GT de Capuchinho, que dava início – finalmente – à uma disputa satisfatória por alguma coisa, já que o piloto sempre foi lanterninha em todas as corridas que participou do campeonato. Clayton chegou a tomar posição de Maciel na corrida, que estava constantemente errando traçado ou atrasando volta para favorecer o negócio de tráfego com os GT500. Claytio também ultrapassou Capuchinho, almejando mais uma "rara" prova com boa colocação, mas antes que completassem os 20 minutos de prova, abandonou.
Enquanto isso, lá estavam Diego Costa e Rafael Pereira, intermediando uma diferença de 3, 4 segundos. Quando viraram retardatários, a diferença aumentava, mas rapidamente diminuía novamente. E em mais uma rodada comprometedora, Anderson dividiu com Gian a perseguição da terceira colocação da GT300. O primeiro carro da GT300 a efetuar uma parada foi o #12 Atom Joker, de Maciel Claudino, já com a corrida totalmente comprometida. O segundo, foi Raphael Capuchinho, sucedido respectivamente por Rafael Pereira (em expectativa de levar vantagem por ter parado mais cedo), Gian Carvalho, Diego Costa e, por último, Anderson da Silva. Todos eles pararam entre 30 e 36 minutos de corrida e depois, era buscar a corrida perfeita, pois a duração da corrida, afinal, era pouca.

Na parte final, pouco movimento. Capuchinho conseguiu ultrapassar Maciel após o stint e sequer deu chance pro rotativo, que vai levar pra casa o troféu fair play da corrida, pois o cara sem necessidade, acabou indo até pra grama pra favorecer o tráfego da pista (!). Maciel não conseguiu recuperar o quinto lugar mais. Um pega interessante entre Anderson-Gian e Diego-Rafael estava acontecendo. A luta foi intensa nas duas ocasiões. Anderson perdeu rendimento após a troca e deixou Gian se aproximar cada vez mais. No entanto, após o anoitecer completo, quem perdeu rendimento foi Gian e abriu mão do cobiçado terceiro lugar. Rafael, da mesma forma que Gian no anoitecer, se distanciou de Diego. Mas quase deu zebra! Diego Costa levou o #8 Vette Racing pra brita, na primeira curva do segundo setor, que comprometeu seus preciosos segundos de diferença pra Rafael. Por pouco, ele não perdeu o primeiro lugar, filme esse que ocorreu de forma similar em Suzuka. Diego venceu pela quinta vez e agora iguala a Nick Nagano no numero de vitórias em classe (cinco no total, de cada, contando todas as temporadas ocorridas).

INTERVIEW

Classe GT500
Primeiro lugar
#5 FPR ESSO Ultron Supra / Lucas Furlan
"Corrida foda! Na primeira volta comecei a milhão, super bem, até rodar na segunda volta... Eu tinha um carro que enquanto tivesse pneu era super rápido, mas de tão rápido consumia demais e aquela rodada acabou fazendo com que eu tivesse umas das corridas mais acirradas aqui do grupo, Nagano foi um carrapato estrela em mim na corrida. O final muito emocionante, passei o pessoal que optou por uma parada até ver Nagano ter passado também e vindo com sangue nos olhos pra cima de mim,! Estava com seis segundos de diferença até na ultima volta chegou ficar menos de um segundo (!!!)... aí falei: "agora fodeu". Comecei tacando o carro pros lado pra não pegar o vácuo e venci por esse mesmo um segundo de diferença. Muito acirrada. E parabéns ao Diego pelo troféu da GT300 e a todos pelo show de campeonato, e também ao Clayton Nemezio pela ideia da homenagem ao Nagano hoje, que foi sensacional... E claro, ao Nagano por mais um campeonato super organizado no qual merece um troféu maior que os dos campeões e desejar uma boa viagem pro Japão e sucesso na terra do sol nascente."

Segundo lugar
#1 NAG-R HSV-Evo LM / Nick Nagano
"Sensacional! Mais uma corrida que vou ter orgulho de dizer por aí: "sim, eu estive lá!". Comecei péssimo, indo pra brita e perdendo todas as posições da GT500. Mas estou desacreditado com meu ritmo, pois devido ao destreino que tive no qualifying, estava presente apenas para marcar numero, sem expectativa de vitória, pois já estou muito satisfeito com a que obtive na etapa anterior. Nem por isso deixei de fazer bonito... Gostei bastante das battles com o Roberto Denner e o Lucas Furlan, principalmente! De novo esses dois... Ao longo da corrida o Lucas foi ganhando ritmo e por milagre consegui acompanhá-lo sem problemas, mesmo que tenha custado uma rodada. Achei que era o fim ali, porém, não achei que ia ter a mesma constância. Estou surpreendido comigo mesmo! No final, passando o Denner e o Júlio Cazari, que estavam com pneus muito gastos por terem feito apenas uma parada, eu só tive uma missão: caçar o Lucas. Encostei nele, fiz a melhor volta da corrida, mas a vitória não veio. Não tem problema, o pega foi sensacional!!! Parabéns Furlan, pelo título na GT500 e pelo show que deu no campeonato. Mas não vai achando que foi fácil, porque não foi! Hahaha. E agradeço a todos pela homenagem que fizeram a mim!"

Terceiro lugar
#22 Kzari HSV-010 / Júlio Cazari
"Fiz uma boa largada conseguindo manter a primeira posição, fiquei na cola do Lucas por um tempo mas errei e fiquei para trás vendo o pau comer solto entre os 4 carros na frente. Com apenas uma parada foi difícil segurar o Nag e Lucas, talvez se tivesse virado 1:41 e não 1:42/43 todas as voltas... Enfim, parabéns ao Lucas pelo campeonato e a todos pelas disputas, muito limpos e respeitosos. Foi o melhor campeonato que já participei em todos os sentidos, pilotos muito bons (vou treinar mais pra ficar na frente desses caras, rsrs). Parabéns ao Nagano pela organização, simplesmente profissional e muito gostoso de participar do campeonato. Cada etapa é uma emoção, valeu!!! Tudo de bom pra você na terra do sol nascente (e dá um cutucão no Kazunori e diz que a gente já tá de boa de vision rsrsr)"

Classe GT300
Primeiro lugar
#8 Vette Racing / Diego Costa
"Corrida foi basicamente decidida na largada, quando consegui assumir a liderança e o Rafael caiu pra terceiro. Depois ele tentou me alcançar mas pude manter uma distância segura até o pit. Quando escureceu, tive problemas e na última volta quase fico preso na areia, por sorte tirei o carro de lá e completei a corrida. Parabéns a todos que participaram, principalmente por jogarem limpo. Boa sorte na nova etapa de sua vida, Nagano!"

Terceiro lugar
#36 MB DRT SLS / Anderson da Silva
"Dei um pulo e quase assumi a ponta da GT300 mas perdi contato com o Diego Costa, depois errei e o Rafael Pereira me passou... Não ia segurar ele por muito tempo e fiz uma corrida pra chegar em terceiro mesmo com alguns sustos... O Team Principal está contente porque com uma corrida a menos a DRT chegou nas cabeças com as duas poles e os pódios na temporada. Estaremos desenvolvendo a MB para a próxima temporada para fazer uma melhor que essa... Parabéns Nick Nagano por mais um campeonato e boa sorte nessa nova fase da sua vida. Sabemos que você queria muito isso, então vai lá e agarre essa chance!"

RESULTADO DA CORRIDA
RANKING DE PILOTOS
RANKING DE EQUIPES

GALERIA DE FOTOS

Pois é, meus amigos... Chegou ao fim mais uma temporada. Provavelmente já me manifestei ali mesmo, no grupo, na área do evento ou na time line, onde o view é maior e recebe mais comentários. Posto neste espaço que chamo de "site da GTS" apenas o registro do que aconteceu em todas essas corridas ao longo de ~mais de dois anos de grupo e estou muito orgulhoso por ter feito parte disso. Eu não vou deixar o grupo ou parar com a organização, porém, não vou ter mais o mesmo tempo de antes. Você me conheceu num período onde eu tinha tempo pra tudo. Foi por isso me dediquei ao máximo nesse campeonato, tentei ao máximo deixar ele perfeito, o mais perfeito que já passou por aqui (sem desmerecer os outros, é claro!). Estou falando isso porque provavelmente foi o último a tempo inteiro como piloto. Eu não sei bem como vão ficar as coisas daqui pra frente, mas vou focar na realização do meu sonho, que é trabalhar pra comprar meu carro e focar na cena automotiva japonesa, direta ou indiretamente... Sim!!! A NAG-R tá vindo aí! Eu amo automobilismo e quero me envolver com ele, mesmo batalhando pra custeá-lo. Abracei a chance e estou indo cumpri-la na terra do sol nascente.

Muitíssimo obrigado a todos que participaram do campeonato, como piloto ou como apenas leitor, interessado no campeonato e na organização que propus e cumpri. E muitissmo obrigado a todos que, pelo automobilismo virtual, manifestaram apoio à minha pessoa. Não esperava ser homenageado dessa forma, não era necessário... Por esse motivo estou impressionado com todos vocês e agradeço muito, de coração, por terem feito parte da minha vida. 

See you in the track, faster than or not!

NN.



Nenhum comentário:

Postar um comentário