2 de ago de 2014

SUPER GTS – Thiago Prado consegue façanha e vence o extra em Daytona pela GT500


Foi realizado no dia 02/08, por volta das 21h40, a corrida extracampeonato do 2014 SUPER GTS, evento especial conhecido como ROAD FOR DAYTONA e que teve como vencedores Thiago Prado (#14 Cooper 14 GT-R) e Geovanne Ferreira (#89 LEXUS TOTALSPORT IS350).

Deu tudo errado para que a realização do evento fosse feita de modo pacífico. No qualifying, ao menos os que compareceram foram capazes de fazer seus tempos normalmente, até que por ironia do destino, mais da metade do grid "quebra" e ficam sem rumo para a segunda sessão, que foi completamente cancelada após o ocorrido. Na corrida, com certa similaridade, o problema de um dos pilotos favoritos desse evento causou um atraso enorme e Nick Nagano, já com nome feito na GT500, descontinuou depois de várias tentativas de alinhar o #3 NAG-R HSV-010 no grid para a Race 1 sem sucesso. A corrida foi encurtada para 20 minutos, ao invés de 30 minutos originais, contando a formation lap.

Foram onze confirmações oficiais, reduzido para oito no starting grid e, por fim, sete, quando Rafael Pereira não conseguiu sair do lugar e teve seu carro imediatamente retirado. Restou ao grid da SUPER GTS alinhar – apenas – três carros na GT500 (#4 Lightning McQueen SC430, #14 Cooper 14 GT-R e #99 TOTALSPORT NISMO GT-R) e quatro na GT300 (#12 Cooper 12 RX-7, #77 NoBreaks M3 GT2, #89 LEXUS TOTALSPORT IS350 e #85 Oak GoPro Gathers Mégane). Essa é a pior baixa da história do campeonato.


A largada da GT500 fora tranquila. Anderson da Silva conseguiu largar na primeira posição em consequência das ausências, mas não durou mais que uma volta e o SC430 foi nocauteado logo no início pela dupla de GT-R's: Otto e Thiago. O #4 Lightning McQueen SC430 ainda teve que aturar uma baita escapada de pista, já na terceira colocação, distanciando-se ainda mais dos primeiros colocados.

A briga pela primeira posição tornou-se acirrada mesmo sem Anderson estando próximo. Mas Otto, quatro voltas depois da largada, abandonou e entregou o primeiro lugar para Thiago Prado, prestes a conquistar uma façanha: a vitória inesperada. 

Sem muito esforço do piloto da BRABHAM TEAM (tá bom... com alguns erros que direcionaram o GT-R roxo para a grama) conquistou a vitória "zebrada", onde de quatro GT500 confirmados, apenas dois conseguiram completar a prova.


Enquanto isso, na GT300, folga total para Geovanne Ferreira, já campeão da GT300, não poderia encerrar a temporada melhor e se saiu vitorioso desta corrida morga, 30 segundos à frente de Pedro A. Petry, que também conseguiu a dita façanha nesta classe: um honroso segundo lugar com sua #77 NoBreaks M3 GT2. Mas o piloto bávaro não teve sossego algum, pois desde o início da corrida, foi perseguido pelo extremamente rápido #85 Oak GoPro Gathers Mégane de Gian Carvalho, que leva o terceiro lugar.  

Com um desempenho não tão correspondente às expectativas, Maciel Claudino viu seu parceiro de equipe vencer, mas também teve que olhar pra si mesmo e se conformar com a última posição da classe e da corrida.

Estava programado para que houvesse mais uma corrida, mas, por ordens da organização, a mesma foi cancelada e os resultados limitam-se apenas pela Race 1. O grid inverso fica para ano que vem e o SUPER GTS se despede de 2014 com uma mistura de sentimentos: felicidade por encerrar um baita campeonato de Autumn Ring à Motegi, mas também de tristeza, por presenciar a melancólica corrida de Daytona, vivenciada de zebras e alguns poucos azares.


Será feito um post de agradecimentos ainda hoje.

Nenhum comentário:

Postar um comentário