2 de jul de 2018

Muito equilíbrio e baguncinha são os destaques na estréia do novo campeonato da GTStage




Alexandre Júnior e Julio Molchan brilham nas primeiras duas etapas do All Japan Stock Car Racing Series, rounds contam com um grande equilíbrio entre os carros e pilotos, com várias disputas e cronômetros parecidíssimos.


Salve galera, tudo certo?
Tamo aqui pra relatar o que houve no sábado dia 23/6, que foi a abertura do campeonato entre EVO vs WRX com esse puta nome grande aí que ninguém sabe de cabeça, o AJSCRS, que teve seus primeiros Rounds em Kyoto Yamagiwa.

Dessa vez um formato totalmente novo no grupo, etapas realizadas com 02 baterias de meia hora cada, o que.. relatado por pilotos participantes parece desgastar e exigir mais pois não há margem pra erros.

Vamo lá, no qualify não tivemos muitas novidades, visto que o desempenho da galera no evento 'teste' em Nordschleife meio que se manteve, todo mundo largou ali por onde costuma se posicionar mesmo. O que de fato surgiu de diferente foram as participações de Julio Morosky e Ricardo Bacchi, da FGT (convidados pelo atual homem a ser batido Alexandre Júnior). Morosky já é da casa há algum tempo, mas ficamos felizes com o retorno em participação em nossos eventos oficiais.

Como já virou costume, Juninho cravou a pole, seguido pela galera da seguinte forma:


Carros alinhados no grid e tínhamos expectativa de uma boa largada no Round 1, não foi o que aconteceu, infelizmente Julio Morosky não conseguiu arrancar, com problemas no câmbio de seu Evo FGT-Rays, o que por consequência atrapalhou seu parceiro Bacchi que precisou desviar de Morosky e acabou perdendo um tempinho ali atrás, logo foi ultrapassado por Antonio Félix.
Com traumas do teste oficial em Nordschleife, Juninho, novamente, não fez boa largada, queimou demais os pneus do Haribo Evo perdendo de cara a pole para o herege porém lindo  Unisia Jecs G-Tuned de Geovanne Ferreira, que já experiente com o carro dosou o pé na luz verde, mas nada que complicasse a corrida de Juninho, que ainda na primeira volta recuperou a ponta e de décimos em décimos foi se distanciando na frente (que novidade).
Por outro lado, largadas excelentes de Jordy Vaniel a bordo do WRX nas cores da Greddy que ultrapassou Pedro Petry em seu Jordan B&H STI (falaremos desses 2 mais tarde), Diego Gerpe com o WRX coelhinho da Duracell e Julio Molchan (inscrito meia hora antes do evento com incentivo de Geovanne) com o Subaru Nippon Airways cosplay de avião que vem pra voar baixo e promete dar trabalho pra galera da ponta.


O destaque da corrida 1 fica na conta de Geovanne Ferreira e Julio Molchan, que após tentarem seguir o ritmo de Juninho acabaram por travar a disputa mais emocionante da prova nas 5 primeiras voltas, ficando um na sombra do outro com trocas de posições e freadas no limite com direito até a X em chicane, fica aí a menção e o exemplo de batalha limpa a ser seguida. Mais tarde Julio conseguiu se manter na frente de Geo e ambos ficaram com o 2nd e 3rd, com diferença de menos de 5 segundos.



Diego Gerpe observou bem de perto a batalha e com seu belo ritmo ameaçou beliscar a dupla Unisia Jecs/ANA Prodrive, mas ficou por isso mesmo, não foi dessa vez que o coelhinho teve energia suficiente para buscar um pódio, mas tomem cuidado pois o jovem carioca é promissor e rápido, seu histórico millenar na GTS comprova isto.



Agora sim, vez de falar da dupla Pedro Petry e Jordy Vaniel, assim como Julio vs Geovanne, Greddy contra Benson & Hedges foi outra bela batalha pra se assistir, com ritmos idênticos, ambos travaram uma batalha de ponta a ponta, embora com nem tanta intensidade/proximidade quanto as 5 voltas do Unisia/ANA Prodrive. Jordy disse ter lutado durante a prova inteira com Pedro, que relatou ter sido uma disputa memorável desde sua chegada na GTStage, quem se deu melhor foi Pedro, conquistando um bom 5th lugar.
Um detalhe interessante é que a best lap dos dois pilotos teve a ridícula diferença de 2 MILÉSIMOS de segundo, um absurdo, que consegue ser menor que o tempo de resposta de um bom monitor. Os jovens ainda mantiveram isso na segunda bateria, onde a diferença aumentou pra .006 nas flying laps, dificilmente veremos algo igual outra vez.


Antonio Helix e seu Evo da Shell Felix, trocadalhos a parte, fizeram uma prova regular porém discreta, seguiu próximo aos WRX de Pedro e Jordy porém se aquietou ali na 7th colocação, uma pena não termos feedback do piloto sobre seu desempenho para acrescentar algo a mais sobre sua corida.


Ricardo Bacchi fez sua estréia na Gran Turismo Stage mas não deve ter se contentado, o piloto talvez por não ter tido tempo de treinar ou se preparar melhor pro evento acabou sendo o lanterninha do Rd.1 após fazer as 4 voltas iniciais em ritmo inferior, e logo aos 8 minutos parar o carro na saída de um dos hairpins, depois de perder o controle de seu Subaru dos Avengers na volta 5. O carro ficou em modo fantasma, não atrapalhou fisicamente mas houve relatos de pilotos reclamando de bandeira amarela no setor onde Bacchi ficou parado no restante da corrida toda. Poderia ter abandonado de fato a prova pois realmente foi um incômodo. Infelizmente o piloto foi a primeira baixa do campeonato, alegando motivos pessoais o mesmo deixa o evento, lamentamos e esperamos vê-lo novamente em nosso grid aqui na GTStage!


A primeira bateria foi vencida por Alexandre Júnior, que sobrou na frente da concorrência, esta é a QUARTA vitória consecutiva de Juninho na GTStage, um grande feito!

E assim ficou o resultado do Round 1:


Round 2, grid invertido e com novidades! (Para outros nem tanto)


Carros alinhados para segunda bateria, dessa vez com Wagner Maurente no grid, o piloto teve dificuldades e não conseguiu posicionar seu Blue+Channel WRX pra largar no Rd.1 mas felizmente deu tudo certo e lá estava o jovem pra segunda corida.
Wagner largaria na última posição, mas Morosky com apoio da organização tentou por outra vez enfim largar com seu Evo FGT-Rays após assistir dos boxes a primeira bateria, foi posicionado em 9th por segurança, mas novamente teve problemas e precisou ser retirado da pista sem sair da linha de largada, uma pena, mas a equipe promete tentar reverter o quadro.


Mas, e a baguncinha?

É, dessa vez não teremos punições pois a organização julgou toques e acidentes normais de corrida, mas como previsto, o grid invertido cumpriu seu papel ao menos no início do Rd.2.


Logo na primeira volta, Antonio Felix foi rapidamente alcançado pelo pessoal mais rápido que largou atrás, o que fez com que houvesse muitos carros por m² logo ali no setor sinuoso que fica depois da primeira curva. Felix ainda acabou escapando sozinho segundos depois e caiu pra última colocação (8th).





Em seguida Diego Gerpe acidentalmente toca o WRX de Jordy, depois da descida no hairpin, o piloto não conseguiu frear o suficiente e bateu de leve no Greddy WRX, mas por azar o Duracell WRX acabou sendo o mais prejudicado no acidente, que virou um dominó e acabou tendo como vítimas Juninho e Geovanne que não tiveram tempo de reagir e evitar a panca, assim sendo forçados a fazer uma corrida de recuperação. Gerpe ainda relatou batalhar com Felix pelo 7th lá atrás, uma pena visto o resultado na primeira bateria.



Quem se deu bem com o acidente foi Julio Molchan que saiu em 3rd colado em Jordy e Pedro e dali em diante começou a definição do Rd.2 winner. Wagner seguiu de perto essa batalha até ambos chegarem de vez pra brigar pelo 1st , Julio assumiu a ponta sem muitas dificuldades e Wagner pegaria o 2nd de Pedro Petry ali pela volta 9 após brigar com Jordy pouco antes disso.

Um pouco pra trás Geovanne e Juninho vinham com sangue nos olhos pra tentar recuperar o prejuízo que ficou maior na volta 4, onde no primeiro hairpin (antes do setor 3) Juninho toca na lateral/traseira esquerda do UJ G-Tuned Evo fazendo-o rodar, a partir daí ambos buscaram melhorar e partiram pra uma corrida estilo Time Attack pra tentar um resultado melhor já pensando na classificação. Na volta 9 Jordy perde a traseira de seu STI Greddy atingindo o muro antes da última curva, sendo ultrapassado pelos 2 Evos, ele aproveita que seu carro foi danificado e faz o pit junto com Juninho já que o cronômetro mostrava exatos 50% de tempo de prova, já o piloto do Unisia Jecs se mantém na pista buscando ultrapassar quem parou e ter pneus melhores no final da corida por parar depois.
Ele consegue pegar a segunda colocação sendo perseguido por Wagner com pneus novinhos, mas para no box na volta seguinte, saindo em 5th, atrás de Juninho e na frente de Jordy, almejando coisa melhor pro final da bateria.

Enquanto isso, Julio Molchan voava baixo com seu Subaru aero/patrocinado, com um gap seguro sobre Wagner, que ainda tinha Pedro próximo e Juninho se aproximando. Geovanne e Jordy, pouco atrás, vinham ali apenas esperando o erro de alguém durante as voltas seguintes, o piloto do Greddy Speedhunters WRX ficou ali mesmo com a sexta posição, já Diego e Antonio ficaram abaixo em 7th e 8th, respectivamente.



Com 22 minutos, restando apenas 8, Juninho passou Pedro e seguiu em busca de Wagner pela segunda colocação, Geo, por sua vez, na volta 18 aos ~27min e com pneus melhores (a estratégia deu certo, afinal) conseguiu ultrapassar Pedro Petry no WRX amarelo e preto e garantiu o 4th place, uma bela corrida de recuperação.
Juninho ainda deixaria o final emocionante batalhando com Wagner pelo 2nd, na última volta, novamente o Evo levou a melhor (mesma coisa de Geo vs Pedro).
Molchan garantiu a vitória na segunda bateria com 8 segundos de folga pra Juninho que ficou apenas 2 décimos na frente de Wagner no WRX Blue+Channel.



Esta é a primeira vitória de Julio desde 2013, quando levou uma rally stage correndo de RUF RGT, ainda no GT5.

Assim ficaram os resultados do Rd.2:


E assim fica a classificação geral:

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Interview:

Alexandre Júnior: Tive trabalho na largada, o Geo largou bem melhor e tomou a ponta, consegui recuperar a pole ainda na primeira volta e administrar um ritmo forte até o final.
Na segunda bateria o negócio foi punk kkk.. Comecei bem, mas não consegui frear a tempo e peguei o Diego na chicane e não consegui segurar o carro, dei um 360 lindo.. Estava conseguindo recuperar o tempo perdido e acabei rodando sozinho, fiz uma estratégia diferente e parei uma volta antes, consegui sair na 4° colocação e busquei o Pedro, pra chegar no Wagner foi tenso, tava mantendo a diferença por 3 voltas, na última consegui chegar mas ficamos lado a lado ao abrir a última volta, acabei encostando nele e devolvi a posição, consegui passar ele no finalzinho da volta, chegamos colados!! Corridão da galera, muito equilíbrio, esse campeonato promete.

-
 Julio Molchan: Round 1 deu uma battle bem legal com o Geo, mostrando que os carros estão bem pareados, tomara que se repita nas próximas corridas. Quando a coisa deu uma acalmada, o Junior já estava bem distante e ainda por cima teve desgaste menor, uma corrida espetacular dele.
O Round 2 foi uma mistura de várias elementos, tive a sorte de me beneficiar por uma colisão entre vários carros e de modo geral meu ritmo estava melhor que no 1, já que estava tranquilo em relação ao gasto de pneu.
Parabéns à todos aí pela corrida limpa, foi bem legal!

-
Geovanne Ferreira: Corrida 1 foi sensacional, 5 voltas de pega insano com o Julio Molchan, até ele encontrar um ritmo um pouco melhor que o meu e administrar o 2nd place, feliz pelo pódio.
A corrida 2 foi caótica como prevíamos, grid com aquela baguncinha e o pessoal mais lento na frente, era inevitável algum acidente, coisa de primeira etapa também, caí pra trás com alguns toques e derrapadas, mas coisa de corrida, ainda deu pra brincar de best lap e arrancar um 4th no final! Muito show, mal posso esperar pra ver esse grid mais cheio nas próximas!

 
 

As 2 próximas etapas serão realizadas no sábado dia 07/07 no circuito de Lago Maggiore. Nos vemos lá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário